quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Esperança...

"Mas a gente vai à luta
e inventa um novo sonho,
uma esperança,
mesmo recauchutada
vale tudo menos chorar
tempo demais.
Pois sempre há coisas boas
para pensar.
Algumas se realizam
Criança sabe disso."
[ Lya Luft ]

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Sem palavras...

Não escrevi nesses últimos dias. Não sei exatamente o motivo. Ao menos, poderia ter postado algum poema... Li alguns, e estranhamente não me encantei por nenhum deles. Não consegui escrever nenhuma palavra de sentimento... de momento... Ao mesmo tempo que parecia estar vazia, eu não estava. Meus sentimentos, minhas dúvidas, estavam fervilhando dentro de mim... exatamente como o mar nesses últimos dias. Aparentemente tranqüilo, mas as ondas alcançavam o limite imposto pelo “homem”, a rede do pescador parecia um emaranhado de qualquer coisa, menos rede ! Como, que por dentro do mar, estivesse fervilhando um monte de emoções, querendo explusar qualquer um que não pertencesse ao seu mundo. Evitei ao máximo, não ficar me torturando. Não consegui transpor uma só palavra, dessa pequena confusão que se encontrava dentro de mim. Eu sei, “não sou escritora”, nem poeta, rsrsrs... quem me dera... Mas, me senti meio que vazia, não postando nem sequer uma palavra . É um cantinho especial pra mim, como se esse momento fosse só meu. Eu sei, eu sei... com tantas coisas acontecendo no mundo por aí fora... Mas, para eu enfrentar esse mundo aí fora, necessito limpar minha alma primeiro. E para isso, escrevo aqui. Nem que seja, um poema copiado.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

...que eu tenha coragem de me enfretar...

"...Que minha solidão me sirva de companhia.
Que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo."

(Clarice Lispector)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Coragem, às vezes, é desapego.
É parar de se esticar, em vão, para trazer a linha de volta.
É permitir que voe sem que nos leve junto.
É aceitar que a esperança há muito se desprendeu do sonho.
É aceitar doer inteiro até florir de novo.
É abençoar o amor, aquele lá, que a gente não alcança mais.

Caio F.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Amigos...

Eu gosto de pessoas inteligentes que enxergam o mundo com humor.
Tem muitas pessoas em quem eu bato o olho e penso: deve ser legal ser amiga dele. É gente que não carrega o mundo nas costas, que fala olhando nos olhos, que não se leva tão a sério, que é franca na hora do sim e na hora do não. É difícil sacar as qualidades de uma pessoa sem antes conhecê-la, mas intuição existe pra isso.
Tenho vários amigos que enriquecem minha vida e se encaixam no meu conceito de “pessoas especiais”, mas meu coração é espaçoso e está em condições de receber novos inquilinos


*** Martha Medeiros ***

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

É melhor atirar-se á luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático como os pobres de espirito, que não lutam, mas também não vencem; que não conhecem a dor da derrota, mas não tem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espirito, ao final da jornada da terra, não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se ate Ele por terem simplesmente passado pela vida.

Bob Marley ♥

quarta-feira, 24 de novembro de 2010



"Eu sou lúcida na minha loucura.
Permanente na minha inconstância.
Inquieta na minha comodidade.
Amo mais do que posso e, por medo, sempre menos do que sou capaz..
Quando me entrego, me atiro e quando recuo não volto mais."


Martha Medeiros

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Reflexão

"Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você. Eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende?"

Caio F.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010


"Eu acredito que tudo acontece por um motivo. As pessoas mudam para que você consiga deixá-las para lá. As coisas dão mal para você aprender a aprecia-las quando estão boas. E às vezes, coisas boas se separam para que coisas melhores ainda se juntem."

Marilyn Monroe


terça-feira, 16 de novembro de 2010

Vida...

Com tempo aprendemos
Que os dias são feitos de grandes surpresas
Buscamos por caminhos
Que muitas vezes são diferentes
Dos que realmente devemos percorrer
Achamos que sabemos de tudo
E na realidade não sabemos nada
Somos alunos de alguém
Que podemos considerar
Como a melhor e maior professora
Que existe
Nos faz ver todos os dias
Que precisamos aprender cada vez mais
Somos alunos eternos
Daquela que mais desejamos ter


A vida...

sábado, 13 de novembro de 2010

Sou como um livro...

Sou como um livro. Há quem me interprete pela capa. Há quem me ame apenas por ela. Há quem viaje em mim. Há quem viaje comigo. Há quem não me entende. Há quem nunca tentou. Há quem sempre quis ler-me. Há quem nunca se interessou. Há quem leu e não gostou. Há quem leu e se apaixonou. Há quem apenas busca em mim palavras de consolo. Há quem só perceba teoria e objetividade. Mas, tal como um livro, sempre trago algo de bom em mim.



terça-feira, 9 de novembro de 2010

Cativar...

Muitas vezes não temos tempo ou paciência para praticarmos o verbo cativar, mas, o importante é saber que como Antoine De Saint- Exupéry citou no livro O pequeno príncipe...." foi o tempo que perdeste com a sua rosa, que fez a tua rosa tão importante", abaixo um trecho deste livro que traduz com um rico aprendizado, o verbo cativar.
E foi então que apareceu a raposa.

- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...

- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.

- Que quer dizer "cativar" ?

- É uma coisa muito esquecida. Significa criar laços...Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. Eu não tenho necessidade de ti e tu não tens necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, teremos necessidade um do outro. Serás para mim, único no mundo. E eu serei para ti, única no mundo. Minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. O teu passo me chamará para fora da toca, como se fosse música. A gente só conhece bem as coisas que cativou.

- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.

- É preciso ser paciente. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal- entendidos. Cada dia te sentarás mais perto...Se tu vens por exemplo, às quatro da tarde, desde às três, eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!

.................


- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua, é a única no mundo. É simples, o segredo: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos. Foi o tempo que perdeste com tua rosa, que fez tua rosa tão importante. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...

- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar...

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela tua rosa...Tu és responsável pela tua flor....

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Navegue...

Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar, o lugar deles é lá.
Admire a lua, sonhe com ela, mas não queira trazê-la para a terra.
Curta o sol, se deixe acariciar por ele, mas lembre-se que o seu calor é para todos.
Sonhe com as estrelas, apenas sonhe, elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte, ele tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não apare a chuva, ela quer cair e molhar muitos rostos, não pode molhar só o seu.
As lágrimas? Não as seque, elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.
O sorriso! Esse você deve segurar, não deixe-o ir embora, agarre-o!
Quem você ama? Guarde dentro de um porta jóias, tranque, perca a chave!

- Fernando Pessoa

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

VIVER, UM ESPETÁCULO!

Viver é um espetáculo imperdível...

Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo.

Só você pode evitar que ela vá à falência.

Lembre-se sempre de que ser feliz não é ter um céu sem tempestades, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.

Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.

Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.

Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.É saber falar de sí mesmo.É ter coragem para ouvir um não.É ter segurança para ouvir uma crítica, mesmo que injusta.
É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.

É ter maturidade para falar "eu errei".

É ter ousadia para dizer "me perdoe".

É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de você".

É ter capacidade de dizer "eu te amo".

Faça da sua vida um canteiro de oportunidades.

Que nas suas primaveras você seja amante da alegria.

Que nos seus invernos você seja amigo da sabedoria.

E, quando você errar o caminho, comece tudo de novo.

Pois assim você será cada vez mais apaixonado pela vida e descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas é usar as lágrimas para irrigar a tolerância, usar as perdas para refinar a paciência, usar as falhas para esculpir a serenidade, usar a dor para lapidar o prazer, usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.

Jamais desista das pessoas que você ama.

Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Aprenda a ouvir...

O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranquila.
Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: “Se eu fosse você”
A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito.
A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta.
É na escuta que o amor começa.
E é na não-escuta que ele termina.
Não aprendi isso nos livros.
Aprendi prestando atenção.

 
__________ Rubem Alves ____________



sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Existe alguém...

Existe alguém em mim que quer falar tudo que acha que sente. Quer dizer que faz qualquer coisa pra te ter ao lado todo dia à noite.
Esse alguém te quer.

Existe alguém que duvida. Duvida do que tu sentes e, justamente por

isso, não diz o que sente. Ele não diz, e te faz achar que ele não sente nada por ti.
Esse alguém te gosta muito.
Existe também alguém que ferve. Alguém que ignora todo o sentimento, pois espera a cada esquina por algo melhor, algo que nunca aparece e que o faz permanecer nessa incessante busca.
Esse alguém não vive sem ti.

*** Lucas Silveira ***

sábado, 16 de outubro de 2010

Estar bem e feliz...

Estar bem e feliz é uma questão de escolha

e não de sorte ou mero acaso.

É estar perto das pessoas que amamos,

que nos fazem bem e que nos querem bem.

É saber evitar tudo aquilo que nos incomoda ou faz mal,

não hesitando em usar o bom senso,

a maturidade obtida com experiências passadas

ou mesmo nossa sensibilidade para isso.

É distanciar-se de falsidade, inveja e mentiras.

Evitar sentimentos corrosivos como o rancor,

a raiva e as mágoas, que nos tiram noites de sono

e em nada afetam as pessoas responsáveis por causá-los.

É valorizar as palavras verdadeiras

e os sentimentos sinceros que a nós são destinados.

E saber ignorar, de forma mais fina e elegante possível,

aqueles que dizem as coisas da boca para fora

ou cujas palavras e caráter

nunca valeram um milésimo do tempo que você perdeu ao escutá-las.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

O laço e o abraço...

Meu Deus! Como é engraçado!



Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço... uma fita dando voltas.

Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o

laço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de

braço. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,

em qualquer coisa onde o faço.

E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando...

devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.

Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,

deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço

afetivo, laço de amizade.

E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.

E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum

pedaço.



Então o amor e a amizade são isso...


Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!


_______ Mário Quintana _____

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Eu queria só exceções...

"...Eu adivinho coisas que não têm nome e que talvez nunca terão. É. Eu sinto o que me será sempre inacessível. É. Mas eu sei tudo. Tudo o que sei sem propriamente saber não tem sinônimo no mundo da fala mas me enriquece e me justifica. Embora a palavra, eu a perdi, porque tentei falá-la. E saber-tudo-sem saber é um perpétuo esquecimento que vem e vai como as ondas do mar que avançam e recuam na areia da praia. Civilizar minha vida é expulsar-me de mim. Civilizar minha existência a mais profunda seria tentar expulsar a minha natureza e a supernatureza. Tudo isso no entanto não fala de meu possível significado.


O que me mata é o cotidiano. Eu queria só exceções.

Estou perdida: eu não tenho hábitos..."

____ Clarice Lispector, sempre ela, a minha escritora predileta. ___

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A jornada do amor...

Tudo que sabemos a respeito do amor é inacabado. A cada pretensa linha de chegada, o nosso entendimento se depara com uma nova linha de partida. A cada porta atravessada, encontramos mais à frente uma outra para ser aberta. Fonte inesgotável de vida, o amor é um caminho que clareia, progressivamente, à medida em que o percorremos.
É como se cada passo nosso descortinasse um pouco mais da sua luz.
A jornada é feita de dádivas e alegrias, mas também de imprevistos, embaraços, inabilidades, lições de toda espécie. De vez em quando tropeçamos nos trechos mais acidentados. Depois levantamos e prosseguimos: o chamado do amor é irrecusável para a alma. Desistir dele para ela, é como desistir de respirar.

 
________ Ana Jácomo ____

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Esperança

A esperança me chama

e eu salto a bordo como se fosse a primeira viagem.

Se não conheço os mapas, escolho o imprevisto:

qualquer sinal é um bom presságio.

Seja como for, eu vou, pois quase sempre acredito:

ando de olhos fechados feito criança brincando de cega.

Mais de uma vez saio ferida, ou quase afogada,

mas não desisto.

A dor eventual é o preço da vida:

passagem, seguro e pedágio.


Lya Luft

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata...


"Somos donos de nossos atos, mas não somos donos de nossos sentimentos; somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; podemos prometer atos, não podemos prometer sentimentos... Atos são pássaros engaiolados, sentimentos são pássaros em vôo".

(Mario Quintana)

sábado, 21 de agosto de 2010

Limite-se se for capaz

"Uma vontade que não passa. Uma palavra que nunca dorme. Quer um bom desafio? Experimente gostar de mim"(Fernanda Mello)

 
Há um certo exagero em mim que não pode se calar. Falo muito e falo alto, falo muito alto. Ouço tudo, opino sempre, ofereço ajuda mesmo quando não a pedem. Trato bem até quem não merece, mas faço questão de tratar mal a quem mereça. Digo que amo a quem precisa ouvir. Não digo nada para quem não me faz diferença. Falsidade não a pratico, mas se você for falso comigo apenas lhe oferecerei a reciprocidade. Abraço apertado, beijo sem querer parar e, geralmente, não paro. Aliás, nunca paro, se cansar de mim, me tire da tomada e me coloque para dormir. Se eu começo vou até fim, o que não quer dizer que eu siga sempre pelo mesmo caminho. Sei o que quero e busco para ter. E, quando quero, eu quero agora, quero para sempre. Quando não quero é para nunca mais querer. Tenho qualidades, tenho defeitos, sou humana, sou real, gosto dos meus erros, mas quero sempre ser alguém melhor. Carrego saudade, sonho com lembranças, planejo o futuro às vezes preso ao passado de um tempo bom que se foi. Choro, sorrio, envergonho, esforço e me canso. Sim, também vou ao banheiro, todos vão, mas poucos lavam as mãos, é esse o diferencial. Eu sempre lavo. A questão não é fazer, mas fazer direito. Não que a perfeição seja uma meta, mas não vou desperdiçar a MINHA vida almejando o imperfeito. Você que faça o que quiser com a sua. Sou sempre quem eu preciso ser. Amiga, amante, carrasco, indiferente, incentivadora, opositora. Há muitas outras aqui dentro de mim, mesmo que em meu meu coração ainda haja só uma. Posso estar junto, posso estar distante, não importa. O que interessa é que estou sempre perto de ir cada vez mais longe. Então, me dê licença, estar fora de controle é o meu ponto de equilíbrio, e quanto a você: limite-me se for capaz.






"Às vezes dou trabalho. Mas é como ter um Rolls Royce: se você não quiser ter que pagar o preço da manutenção, mude para um Passat"
(Fernanda Young)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

A vida é feita de escolhas. E o amor é uma delas!

Acredito piamente que a vida de cada um de nós é composta por uma sucessão ininterrupta de escolhas. Fazemos escolhas todo tempo, desde as mais simples e automáticas, até as mais complexas, elaboradas e planejadas. Quanto mais maduros e conscientes nos tornamos, melhores e mais acertadas são as nossas escolhas.
Assim também é com o amor. Nós podemos escolher entre amar e não amar. Afinal de contas, o amor é um risco, um grande e incontrolável risco. Incontrolável porque jamais poderemos obter garantias ou certezas referentes ao que sentimos e muito menos ao que sentem por nós. E grande porque o amor é um sentimento intenso, profundo e, portanto, como diz o ditado, quanto mais alto, maior pode ser o tombo!
Por isso mesmo, admiro e procuro aprender, a cada dia, com os corajosos, aqueles que se arriscam a amar e apostam o melhor de si num relacionamento, apesar das possíveis perdas. Descubro que o amor é um dom que deve vir acompanhado de coragem, determinação e ética.
Não basta desejarmos estar ao lado de alguém, precisamos merecer. Precisamos exercitar nossa honestidade e superar nossos instintos mais primitivos. É num relacionamento íntimo e baseado num sentimento tão complexo quanto o amor que temos a oportunidade de averiguar nossa maturidade.
Quanto conseguimos ser verdadeiros com o outro e com a gente mesmo sem desrespeitar a pessoa amada? Quanto conseguimos nos colocar no lugar dela e perceber a dimensão da sua dor? Quanto somos capazes de resistir aos nossos impulsos em nome de algo superior, mais importante e mais maduro?
Amar é, definitivamente, uma escolha que pede responsabilidade. É verdade que todos nós cometemos erros. Mas quando o amor é o elo que une duas pessoas, independentemente de sangue, família ou obrigações sociais, é preciso tomar muito cuidado, levar muito o outro em conta para evitar estragos permanentes, quebras dolorosas demais.
O fato é que todos nós nos questionamos, em muitos momentos, se realmente vale a pena correr tantos riscos. Sim, porque toda pessoa que ama corre o risco de perder a pessoa amada, de não ser correspondida, de ser traída, de ser enganada, enfim, de sofrer mais do que imagina que poderia suportar. Então, apenas os fortes escolhem amar!
Não são os medos que mudam, mas as atitudes que cada um toma perante os medos. Novamente voltamos ao ponto: a vida é feita de escolhas. Todos nós podemos mentir, trair, enganar e ferir o outro. Mas também todos nós podemos não mentir, não trair, não enganar e não ferir o outro.
Cada qual com o seu melhor, nas suas possibilidades e na sua maturidade, consciente ou não de seus objetivos, faz as suas próprias escolhas. E depois, arca com as inevitáveis conseqüências destas.
Sugiro que você se empenhe em ser forte a fim de poder usufruir os ganhos do amor e, sobretudo, evitar as dolorosas perdas. Mas se perceber que ainda não está pronto, seja honesto, seja humilde e ao invés de deixar cair ou de jogar no chão um coração que está em suas mãos, apenas deixe-o, apenas admita que não está conseguindo carregá-lo...
E então você, talvez, consiga compreender de fato a frase escrita por Antoine de Saint Exupéry, em seu best seller O Pequeno Príncipe:
Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa.
Porque muito mais difícil do que ficar ao lado de alguém para sempre é ficar por inteiro, é fazer com que seja absolutamente verdadeiro! E é exatamente isso que significa sermos responsáveis por aquilo que cativamos...

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Liberdade de escolhas...

Quando tínhamos cinco, nos pediram que disséssemos o que queríamos ser quando crescesse. Nossas respostas foram coisas como astronauta, o presidente, ou no meu caso, uma princesa. Quando estávamos com dez anos, eles perguntaram novamente. Nós respondemos a estrela do rock, cowboy, ou no meu caso, medalhista de ouro. Mas agora que nós crescemos, eles querem uma resposta séria. Bem, quem diabos sabe? Este não é o momento de tomar decisões duras e rápidas, esta é a hora de cometer erros. Pegar o trem errado e ficar preso em algum lugar. Apaixone-se … muito. Se interesse por filosofia, porque não há nenhuma maneira de fazer uma carreira além disso. Mude sua mente e mude de novo, porque nada é permanente. Então,cometa muitos erros, como você pode. Dessa forma, algum dia, quando voltarem a perguntar o que queremos ser, não teremos de adivinhar. Nós saberemos.


Jessica Stanley -Eclipse

sábado, 14 de agosto de 2010

Quando o outro decide dizer basta...

Imagine uma relação na qual um é totalmente apaixonado. Vive pra fazer o outro feliz. Faz e acontece; pensa e sonha; vive e respira o outro, a possibilidade, a relação.

O dia fica melhor ou pior cada vez que o encontro acontece. Cada vez que o outro lhe sorri ou lhe é indiferente... Enfim, o dia pode estar iluminado ou não - só em função de um olhar, uma delicadeza, um acontecer...

Pense então, agora, num outro que recebe tudo isso - e não valoriza. Encara tudo como chato. Demais, exagerado. E não estou falando aqui de controle - simplesmente daquele amor que se DOA incondicionalmente! Enfim, o outro não sabe receber, não quer, não aprendeu, não se interessa por nada que não seja seu ESPELHO...

Essa é de fato a questão - remar contra tudo o que pode ser melhor para aceitar a MIGALHA , a não aceitação, a rejeição, a indiferença, a insegurança, a covardia. É mais que isso: é colocar-se a prova e, ter de enfrentar diariamente os amigos, os familiares, aqueles que nos amam, INDIGNADOS, com tanta falta de amor de um lado e resignação de outro.

E embora alguns escolham viver dessa maneira, um dia "a casa cai ". E, então, tudo muda... Muda de forma rápida e definitiva e coloca de cabeça pra baixo a relação que parecia ter suas regras simples e claras:


UM QUE MENDIGAVA E OUTRO QUE SE ESQUIVAVA.

E é nesse exato momento que o jogo começa pra valer.

Essa história terá então dois possíveis desfechos. Tudo com base na maturidade, no que se aprendeu ao longo do caminho, no que se conseguiu aprender em termos de desapego, autoconfiança, autoestima e assim por diante.

O AMOROSO decide manter sua decisão e sai de cena, deixando o espaço aberto para o OUTRO continuar o seu caminho com tudo o que tem de bom e de ruim - e, esse provalvemente encontrará para seu deleite, outro qualquer desavisado para continuar a ESPEZINHAR... Ou o AMOROSO cai novamente na armadilha e, quando está lá certo de que tomou a decisão correta, inicia-se mais uma novela com torturas, aprisionamento, dor, pouco caso...

A escolha é mesmo de cada um.

E, para escolher o melhor, o BASTA precisa mesmo ser levado em consideração.

Martha Medeiros

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Preciso de poema ar!!!



Muitas doenças que as pessoas têm são poemas presos

abscessos tumores nódulos pedras são palavras

calcificadas

poemas sem vazão

mesmo cravos pretos espinhas cabelo encravado

prisão de ventre poderia um dia ter sido poema

pessoas às vezes adoecem de gostar de palavra presa

palavra boa é palavra líquida

escorrendo em estado de lágrima

lágrima é dor derretida

dor endurecida é tumor

lágrima é alegria derretida

alegria endurecida é tumor

lágrima é raiva derretida

raiva endurecida é tumor

lágrima é pessoa derretida

pessoa endurecida é tumor

tempo endurecido é tumor

tempo derretido é poema

palavra suor é melhor do que palavra cravo

que é melhor do que palavra catarro

que é melhor do que palavra bílis

que é melhor do que palavra ferida

que é melhor do que palavra nódulo

que nem chega perto da palavra tumores internos

palavra lágrima é melhor

palavra é melhor

é melhor poema

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Amanhã pode ser tarde...



Se está bravo com alguém e ninguém faz alguma coisa

para consertar a situacão

...conserte você.

Talvez hoje, aquela pessoa ainda queira ser seu amigo,

e se você não consertar isto logo,

talvez amanhã seja muito tarde.

Se está apaixonado por alguém, mas a pessoa não sabe

...diga a ela.

Talvez hoje, aquela pessoa também esteja apaixonado por você

e se você não falar isto hoje,

talvez amanhã seja muito tarde.

Se você morre de desejos de dar um beijo em alguém

... então dê.

Talvez essa pessoa também queira seu beijo,

se você não der isto a ela hoje,

talvez amanhã seja muito tarde.

Se você ama alguém e acha que esse alguém lhe esqueceu

...entao diga a ele.

Talvez essa pessoa sempre o tenha amado e se você não lhe disser isso hoje,

talvez amanhã seja muito tarde.

Se você precisa de um abraço de um amigo

... você deve lhe pedir.

Talvez ele precise isto mais que você,
e se você não lhe pedir hoje, amanhã pode ser muito tarde.

Se você realmente tem amigos, aos quais aprecia

... conte isto a eles.

Talvez eles também o apreciem, e se eles partem ou vão embora,

talvez amanhã seja muito tarde.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Amor Vampiro

Malicioso,sedudor e faceiro.
É este teu amor vampiro,
Sugando-me as energias sem vacilo.
Domando meu coração bravo.
Não sabes como foi começado,
Mas não desejas o ver terminado.
E apesar de ser arbítrario caminhando em sentido contrário.
Principia meu cálvario.
Subjuga-me com sua ínfima beleza
Profere teu encanto e me joga sobre a mesa.
De fêmea,mas transforma em presa,
Cravando os dentes,me sugando com sutileza,
Famintos,voraz de minha fereza,
Sugas,encata-me a safadezas
Este teu amor vampiro é tudo que preciso e me esquivo
Mas,teu olhar lança-me com o brilho.
Luto mas não me retiro.
É meu cruel e doce martírio,
Audacioso e inóspito delirio
Talvez o ultimo suspriro
De um alucinado coração em suplicio
Teu amor é vampiro,
Impetuoso,escancarado,arredío
Desvenda-me pouco a pouco.
Degusta-me feito louco
Converte-me em outra mulher
Esta que agora sabe o que quer.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Acostumando-se a migalhas



A questão do acostumar-se com o pouco ou quase nada acaba com nossa autoestima. Acaba com qualquer possibilidade de relacionamento. Primeiro porque a relação em si começa doente. Um que não pode ou não quer dar quase nada e, outro – carente – que aceita o pouco, ou melhor, as migalhas.
Parece normal? Sabe aquele ditado “ruim com ele pior sem ele”? Pois é, tem muita gente vivendo assim. Com essa dinâmica, essa tônica. Imagine que se perderem essa sua única fonte de “restos” vão ficar à deriva. Famintos, impotentes, sem poder…
Receber migalhas afeta nossa autoestima e com o tempo vamos achando que é isso o que merecemos. Que não nascemos para ser totalmente felizes. Que ok, podemos viver dessa maneira – mendigos ambulantes – à espreita do outro.
De uma distração sua, ou ainda quem sabe de um “raio” de consideração que esse apresenta vez ou outra. Você deve conhecer dezenas de pessoas que vivem exatamente como estou colocando. Infelizmente, caímos nessa armadilha.

Investimento
Começamos a relação para investir, achamos que tudo bem – se o outro não estiver totalmente inteiro, tocamos, deixamos o tempo passar e, quando acordamos, foram-se meses, anos, uma vida – num relacionamento infundado que nunca, nunca vai sair desse marasmo – até porque foi concebido dessa forma.
Bem, então, qual o nosso papel nessa relação? Encolher? Não cobrar, não atormentar o outro com nossos desejos, nossas inquietações, nossos sonhos? Deixar a vida passar? Não sorrir? Não incomodar?
Enfim, numa situação que beira o masoquismo – nosso papel se limita a acabar com nossa felicidade e, o pior, vivermos esfomeados com base na benevolência do outro – que pode ou não acontecer…

Arrastando-se
Qual o papel do outro nessa história além de ser complementar à nossa neurose? Continuar exatamente como sempre foi – ou seja, mesquinho, inseguro, indefinido, inconstante. Aquele que dá pouco, muito pouco, tão pouco que a relação pode se arrastar indefinidamente…
Preste atenção nisso. Ouvi esse comentário de um mestre esta semana: aquele que se preserva para viver relações paralelas ou que não tem condições de se abrir e viver uma história por inteiro não vive e não deixa viver.
Pode viver assim distribuindo afagos poucos indefinidamente – afinal, nada muda em suas vidas… Aquele que não está presente, não pode atender ao telefone, não pode te ver não está nem aí para suas necessidades. Não comparece e – perdoe-me – não são forcas ocultas que o impedem. Não são problemas ligados ao trabalho, à família, à vida, à frustração etc, etc…
Apenas entenda que este que não pode – NÃO QUER, NÃO TE ESCOLHEU, NÃO VAI ESCOLHER, NÃO VAI MUDAR… Vai manter tudo como uma história mais ou menos de amor… Ele pode mudar? Talvez. Quem sabe se um raio cair na sua cabeça e então – BINGO – la estará ele, pelo menos por um período, cheio de amor para dar…
O que pode ser esse raio? Um enfarto fulminante, um acidente, uma perda, um acordo daqueles do tipo – a companheira ou companheiro entram com o pé e ele… Bem, você sabe…

Ação
Parece duro, mas não! Não acontece. E então, o que fazer? Nesses casos podemos deixar tudo como está e parar de reclamar ou pensar em algumas alternativas para fazer o outro acordar e entrar de vez ou sair da relação. A questão é: estamos prontos para sair fora? Estamos prontos para começar de novo.
Se sim, podemos agir de diferentes formas para ver qual a reação do outro – o que acontece com a relação se mudarmos… Primeiro, podemos escolher esfriar para ver se o outro se liga que existimos de fato. E, então, quem sabe, possamos investir em resgatar sonhos, desejos, ou seja, mudar o foco… A vida agradece.
Segundo, podemos pressionar o outro de vez e dar um prazo, algo do tipo “basta”… E, por último, podemos ainda ROMPER. Por um ponto. Acabar. Terminar. Escolher viver outra historia. Outra vida, outra relação…
Fácil? Não. Não e nada fácil. E possível mesmo que seja necessária ajuda psicológica. Para sair de determinadas relações, precisamos recuperar a autoestima. E isso nem sempre é tão simples como parece…
De todo modo, todo passo demanda uma decisão, uma escolha. Depois, no nosso tempo, e só caminhar… Escolhas, sempre escolhas.